domingo, 19 de fevereiro de 2012

A Casa do Gramado - Nas Montanhas Azuis.


- Franz, você está dormindo.


- Não minha doce Valkíria, eu só estou sonhando um pouco.


- Ah! Então me conte um pouco de seu sonho.


- Só estava apreciando um pouco as montanhas azuis.


- Como assim, já é noite, e chove um pouco lá fora, não é possível vê-las.


- Elas estão refletidas em seus olhos, e neles há toda a luz necessária para que eu possa enxergar cada detalhe delas: as árvores, a relva, as trilhas.


- Sabe que você me encanta.


- Ao invés de contar prefiro ir com você até elas, por que não vem comigo até a janela para fazermos juntos esse sonho.


- Podemos ficar juntos, abraçados, entrelaçados... Debruçados na janela, apreciando.


- Sim, e o sonho pode nos levar até onde a imaginação pode alcançar e se deixar fluir, até além da imaginação.


- Entendo, ao nos entrelaçar, também nos envolvemos com esse Universo do qual somos parte, podendo assim irmos além da nossa imaginação à medida que ela se integra a tudo que nos rodeia.


- Ali no pé daquela montanha, entre os Ipês amarelos, é lá que começa a se desenrolar a trilha que poucos vêem, ela adentra as montanhas azuis, em locais que ela só se mostra àqueles que estão envolvidos com elas.


- Vamos flutuar até lá, bem devagarzinho, e depois podemos ir pela trilha, até o centro das montanhas.


- E quando estivermos lá você pode me dar um sonho bem bonito, todo colorido, cheio de magia, para que juntos possamos desenhá-lo.






http://casadogramado.blogspot.com/2012/02/nas-montanhas-azuis.html?spref=fb

Gratidão, George Santos.

Um comentário:

  1. Bom dia, Marion.

    Que Maravilha!!

    Um grande abraço.
    Maria Auxiliadora (Amapola)

    ResponderExcluir